13 – A Preciosa Guirlanda – Cap. 12 – As dez coisas infalíveis

Gampopa

O texto

Essas são as dez coisas sem erro.

  1. Deixar sua casa sem apego a nada, tomar os votos monásticos, sem ter um lar, é infalível.
  2. Ter o santo guru, seu professor, em alto estima, constantemente no alto de sua cabeça, é infalível.
  3. Combinar a escuta, reflexão e prática do dharma é infalível.
  4. Ter uma visão correta e humildade é infalível.
  5. Ter uma mente aberta e um comprometimento estrito é infalível.
  6. Ter conhecimento e modéstia é infalível.
  7. Ter recebido farta quantidade de instruções e ser diligente na prática é infalível.
  8. Ter experiência e realização e não ser arrogante é infalível.
  9. Ser um praticante independente e solitário e saber estar em harmonia na companhia de outros é infalível.
  10. Ter desapego em relação ao próprio benefício e ser hábil em beneficiar os outros é infalível.

AS DEZ COISAS infalíveis – COMENTÁRIOS DE KHENPO KARTHAR RIMPOCHE:

O próximo será as dez coisas infalíveis.

A primeira delas é, não ter apego a nada, deixar o lar, e deixar o lar para não ter lar. Isto significa deixar a vida mundana – deixar de ser um proprietário – e não ter apego, isto é, não tentar ter um lar fora da sua ordenação.

Há caminhos diferentes para que uma pessoa possa entrar numa ordenação renunciada. A abordagem realmente pura e correta é, não ter apego de nenhuma forma, não somente abandonar a vida mundana, mas também evitar recriar um ninho ou lar na ordenação. Também há a possibilidade das pessoas se ordenarem por razões sociais, ou se ordenarem para ter um lar próprio, uma situação segura no monastério. Embora haja a possibilidade deles se corrigirem, a motivação inicial não é correta.

Tendo gerado a renuncia genuína, a segunda coisa infalível é respeitar seu mestre – o amigo espiritual que é um guru autêntico – tanto que você pode levá-lo ou levá-la sobre sua cabeça como o pano que prende o coque alto. Refere-se à prática de prender o cabelo em um coque alto, e para que ele não solte, colocar um pano branco ao seu redor. Atualmente, neste país não amarramos os coques com um pano, mas o ponto é respeitar tanto seu mestre que você sempre o leva sobre sua cabeça.

Terceiro, é infalível combinar as três práticas da escuta, reflexão e meditação. Sempre que você adquirir informações do dharma por meio de estudos ou ensinamentos, você deve imediatamente investigar seu significado, analisá-lo até que fique claro, e então aplicá-lo em sua prática de meditação. Você não pode meditar sem receber a informação, nem pode esperar até que tenha aperfeiçoado totalmente toda a aprendizagem antes de começar a prática. Portanto é importante imediatamente colocar em prática tudo o que aprender, após analisá-lo até entendê-lo corretamente.

Quarto, é infalível ter um ponto de vista elevado e uma conduta humilde. Isto significa que devemos preservar um ponto de vista insuperável do veículo superior, o vajrayana, e praticar este caminho adequadamente, mas praticá-lo no contexto da conduta correta como é indicado no hinayana ou veículo inferior. Deveríamos ter a conduta de acordo com o vinaya, vestir a roupa apropriada e assim por diante. Devemos combinar a compreensão profunda com a conduta correta que está de acordo com o vinaya.

Quinto, é infalível ter uma mente aberta mas um compromisso estreito. À maneira de kyebu dampa ou indivíduos exaltados, o melhor caminho para fazer coisas é não se comprometer com coisas muito vastas, não falar tão alto do seu compromisso. Se no início você faz um compromisso enorme, você não o manterá, e então seu compromisso será como desenhar na água. O melhor jeito de fazer as coisas é ter um pequeno compromisso, cumprí-lo, e não desistir até a sua morte. Assim gradualmente se faz muito. Manter um compromisso modesto é como escavar algo na pedra. Alguém que esculpe pedras mani, (pedras mani são pedras esculpidas com o mantra “Om mani peme hung”, o mantra de Tchenrezi, o bodhisattva da Compaixão), por exemplo, pensará uma coisa por vez enquanto esculpe, mas ele ou ela continua fazendo isso por um longo período, no final um número imenso delas será feita. Embora pareça um projeto pequeno, acrescenta algo muito significante ao longo do tempo.

Sexto, no contexto da escuta e reflexão, é infalível ter uma visão ampla e pouco orgulho. É importante aplicar todo “insight” que podemos trazer para o processo da escuta e contemplação, mas fazê-lo sem arrogância.

Sétimo, no contexto da prática, é importante ser rico em instruções e perseverar na aplicação. Isto significa receber uma variedade de instruções e perseverar e prolongar na aplicação de qualquer prática particular na que estivermos engajados.

Oitavo, novamente no contexto da prática, é infalível ter experiência excelente e realização mas sem orgulho ou vaidade. É possível que alguém que começa a ter experiências meditativas pense, “Essas pessoas são tolas mundanas e eu sou um grande praticante”, que é arrogância e orgulho. Ele ou ela deve estar intoxicado por esta experiência e iludido pela vaidade, pensando, “Agora sou um arya. Estou próximo da Budeidade ou estado búdico. Está na esquina”. É importante evitar este tipo de reações na experiência da meditação..

Nono, é infalível ser independente na solidão e relaxado no meio de muitos. Isto significa que você é capaz de ficar só no retiro e cuidar de si, não se perturbar com a falta de companhia ou coisas como roupas ou alimentos insuficientes. Você é forte e auto-suficiente e capaz de praticar só. Mas ao mesmo tempo, você é capaz de estar com outros quando necessário, estar no meio de qualquer reunião de praticantes sem paranóia e sem pensar, “Não serei capaz de ficar com eles, será um verdadeiro aborrecimento lidar novamente com essas pessoas.” Você deve relaxar e conviver com outras pessoas. Você deve ser capaz de lidar com ambas situações, e se puder fazer isto, você é um praticante genuíno.

Finalmente, é infalível não ter apego em seu próprio benefício, e ser habilidoso em beneficiar outros. Não haverá erro se você for sensível às necessidades dos outros e se dedicar àquilo que beneficia o próximo, mas fazer isso sem esperar por qualquer tipo de ganho ou retorno para si.

Estas são as dez coisas sem erro.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *