21 – A Preciosa Guirlanda – Cap. 19 – As dez coisas pelas quais se causa a própria felicidade

O texto Ao abandonar a aversão e o apego dos profanos para consagrar-se ao Santo Dharma, causa-se a própria felicidade; Ao deixar lar e amigos, para confiar-se a um santo homem, causa-se a própria felicidade; Ao abandonar a agitação do mundo para praticar o estudo, a reflexão e a meditação, causa-se a própria felicidade; Ao Leia mais… »

20 – A Preciosa Guirlanda – Cap. 18 – As dez coisas pelas quais se causa a própria infelicidade (Parte 2)

O texto Estabelecendo um lar sem ter os meios de subsistência, semelhante ao idiota que toma veneno, causa-se a própria infelicidade. Se, esquecido do Dharma, cometem-se atos nocivos, tal como o louco que se precipita num abismo, causa-se a própria infelicidade. 3- Enganando o próximo, causa-se a própria infelicidade como se sentasse para um festim Leia mais… »

19 – A Preciosa Guirlanda – Cap. 18 – As dez coisas pelas quais se causa a própria infelicidade (Parte 1)

O texto Estabelecendo um lar sem ter os meios de subsistência, semelhante ao idiota que toma veneno, causa-se a própria infelicidade. Se, esquecido do Dharma, cometem-se atos nocivos, tal como o louco que se precipita num abismo, causa-se a própria infelicidade. 3- Enganando o próximo, causa-se a própria infelicidade como se sentasse para um festim Leia mais… »

18 – A Preciosa Guirlanda – Cap. 17 – As dez coisas inúteis

O texto Por mais cuidado e atenção que se dedique ao bem-estar deste corpo ilusório, é inútil porque, sendo impermanente, ele será destruído. Por mais cobiça que se tenha por riquezas, é inútil porque, no momento da morte, parte-se nu e de mãos vazias. Por mais cuidado que se tenha em construir uma bela residência, Leia mais… »

17 – A Preciosa Guirlanda – Cap. 16 – Os onze sinais da santidade

O texto Ter pouco ciúme e orgulho é um sinal de santidade. Ter poucos desejos e saber contentar-se com objetos de qualidade inferior, é um sinal de santidade. Não ter orgulho, soberba, nem ostentação é um sinal de santidade. A ausência de hipocrisia e de dissimulação é um sinal de santidade. Em qualquer ação, examiná-la Leia mais… »

16 – A Preciosa Guirlanda – Cap. 15 – As onze coisas indispensáveis

O texto Inicialmente, uma firme confiança reforçada por um grande medo da morte e do renascimento é indispensável; É indispensável ter um bom Lama para conduzir-nos ao caminho da Liberação; O conhecimento que permite a compreensão do Dharma, é indispensável; O ardor à prática, sustentado pela coragem e pela resistência, é indispensável; Cultivar sem complacência Leia mais… »

15 – A Preciosa Guirlanda – Cap. 14 – As dezoito faltas interiores de um praticante do Dharma

O texto As dezoito faltas interiores de um praticante do Dharma: Retirar-se na solidão, mas permanecer preocupado com as coisas mundanas é uma falta para um praticante do Dharma. Guiar uma comunidade, mas preocupar-se com os seus próprios interesses é uma falta para um praticante do Dharma. Sendo versado nos ensinamentos do Dharma e não Leia mais… »

14 – A Preciosa Guirlanda – Cap. 13 – As quatorze coisas insensatas

O texto Essas são as quatorze coisas insensatas. Ter obtido a existência humana e não se lembrar do santo Dharma é tão insensato quanto retornar de mãos vazias de uma ilha coberta de pedras preciosas; Tendo-se engajado na Via do Dharma, é insensato estabelecer-se como chefe de família: é agir como a mariposa que se Leia mais… »

13 – A Preciosa Guirlanda – Cap. 12 – As dez coisas infalíveis

O texto Essas são as dez coisas sem erro. Deixar sua casa sem apego a nada, tomar os votos monásticos, sem ter um lar, é infalível. Ter o santo guru, seu professor, em alto estima, constantemente no alto de sua cabeça, é infalível. Combinar a escuta, reflexão e prática do dharma é infalível. Ter uma Leia mais… »

12 – A Preciosa Guirlanda – Cap. 11 – As dez confusões de uma coisa por outra

O texto Essas são as dez confusões de uma coisa por outra. 1. Pode haver confusão entre fé e desejo. 2. Pode haver confusão entre amor-bondade e apego. 3. Pode haver confusão entre a essência da vacuidade e a vacuidade que é conceitualizada pelo intelecto. 4. Pode haver confusão entre dharmadhatu e a visão niilista. Leia mais… »