Novas Bandeirinhas

Queridos Amigos do Dharma,
Hoje foram instaladas as novas bandeirinhas de oração que o Lama Sonam trouxe  da Índia.
Estava um dia bonito e ensolarado e o vento imediatamente colocou-as a dançar. Seguem algumas fotos.

L.T.

 

 Imprimir  E-mail

Carta à Sangha 17/02/2015 - Losar, Retiros no KPG, Eventos em SP e MS, Estudos Modernos

Queridos Amigos do Dharma,
Compartilhamos as notícias mais recentes.
Losar - Ano Novo Tibetano

losar2014No próximo domingo, dia 22 de fevereiro, será comemorado o Ano Novo Tibetano (Losar). Segundo o calendário tibetano, entraremos no ano de 2142, o ano da Cabra de Madeira. Pela importância da data, convidamos a todos para a seguinte programação:

  • Quarta-feira, 18/02 - 19h: Ritual Longo de Mahakala e Guru Yoga
  • Quinta-feira, 19/02 - 19h: Ritual de Mahakala e Tchenrezig curto

Nesses dois dias, serão feitos os dois últimos rituais de Mahakala do ano, ocasiões muito auspiciosas para que sejam feitas oferendas de velas, incensos, flores, doces, salgados etc, pois os méritos são multiplicados.

  • Domingo, 22/02 - 8h30 às 12h: Losar

Em comemoração do Ano Novo do calendário tibetano, faremos o Ritual de Tara Verde. É uma ocasião muito oportuna a realização práticas de purificação e de oferendas, como velas, flores, incensos, doces e salgados.
Lembramos aos que vierem de carro, que estacionem dentro do KPG ou nas vagas existentes do lado de fora do condomínio (pedimos para não estacionar nas ruas do condomínio). Agradecemos desde já a compreensão e a gentileza!

Retiros no KPG

Conforme anunciado no site do KPG, o ano de 2015 oferece uma programação rica em oportunidades para os que querem estudar de forma um pouco mais concentrada temas fundamentais da Via. Teremos uma sequência de retiros curtos que acontecerão ao longo de todo o ano, coincidindo com os feriados.

O primeiro desses eventos foi o Retiro de Lodjong, conduzido por Lama Pelmo de 13 a 17 de fevereiro. As atividades transcorreram de forma tranquila e organizada, com todos os participantes se engajando no estudo e na reflexão do conteúdo transmitido, bem como na realização das tarefas coletivas, como a limpeza das áreas comuns, a preparação do lanche dos intervalos etc. (Veja mais aqui)
O próximo Retiro no KPG será sobre Shinê - O Caminho da Meditação Estabilizadora. Será conduzido por Lama Wangdu e está programado para os dias 3, 4 e 5 de abril. Em breve as inscrições serão abertas.

Palden Shangpa São Paulo - O Buda da Medicina, com Lama Tartchin

Nos dias 21 e 22 de março, Lama Tartchin conduzirá o Retiro "O Néctar da Safira Azul que Cura - O Buda da Medicina". Terá como foco o treinamento para a cura externa, interna e secreta, usando como base a reflexão das ações do corpo, fala e mente e prática do Buda da Medicina. O Retiro consistirá na iniciação, explicação e prática do Buda da Medicina e será aberto a todos, tanto pessoas sem qualquer tipo de experiência no budismo, como também praticantes antigos. As inscrições já estão abertas. Mais informações e inscrições aqui.

Palden Shangpa Campo Grande/MS - Introdução ao Budismo Tibetano, com Lama Wangdu

Também nos dia 21 e 22 de março, acontecerá a primeira atividade do Palden Shangpa Campo Grande/MS. Na ocasião, Lama Wangdu conduzirá o seminário Introdução ao Budismo Tibetano. Mais informações no site do KPG.

Estudos Modernos

Foram disponibilizados no site, mais alguns títulos de livros contemporâneos recomendados por sua qualidade e pela relação direta ou indireta com o estudo do Dharma que fazemos aos domingos de manhã. No site estão disponíveis os links para aquisição dos livros na Amazon, bem como alguns trechos selecionados e traduzidos para o Português como, por exemplo, As Origens do Yoga e do Tantra, de Geoffrey Samuel o capítulo Kalacakra em Transição - Do Apocalipse à Promoção da Paz Mundial, do livro Transformações e Transferência do Tantra na Ásia e Além (Religião e Sociedade), de Katja Rakow. Convidamos os amigos interessados em colaborar com as traduções de trechos desses estudos, que entrem em contato pelo email: O endereço de e-mail address está sendo protegido de spambots. Você precisa ativar o JavaScript enabled para vê-lo.


Bom Estudo! Boa Prática! Boa Meditação!

Com nossos melhores votos,
A Sangha KPG

 Imprimir  E-mail

S. S. Karmapa explica a busca e o encontro de Yangsi Bokar Rinpoche

 

S. S. Karmapa explica a busca e o encontro de Yangsi Bokar Rinpotche

Tradução do Francês: Lama Pelmo 

SS Karmapa and II Bokar"Bokar Rinpoche nos deixa em 2004. Na mesma manhã, eu estava escrevendo um Canto para ele, pensando que isso criaria uma boa conexão.

Quando soube de seu falecimento, eu não pude acreditar. Por 3 vezes consecutivas, tentei ir a Mirik, mas todas as vezes me recusaram a autorização. Dessa vez fiz uma nova solicitação especial e me autorizaram ir. Eu não conseguia acreditar que ele havia nos deixado. Antes de ir, sonhei que ele ainda estava lá. Eu queria lhe dar meu sangue para trazê-lo de volta a vida. Que estranha sensação eu sentia. Um sentimento de grande perda. Se ao menos eu pudesse fazer alguma coisa para que ele retornasse no mesmo corpo... Esse era o sentimento que eu tinha nesse momento.

Eu pude ir a Mirik já no final da cerimônia dos 49 dias. Em seguida me pediram se eu poderia encontrar sua reencarnação. É muito difícil de dizer. Às vezes eu não me lembro nem mesmo o que fiz pela manhã! Encontrar a consciência é muito difícil. Mas se eu lhes dissesse que eu não poderia, eles não acreditariam.

Então aspirei que pudesse. Eu tinha uma forte conexão com Bokar Rinpoche. Então, quando orei, pareceu-me que ocorreria. Na última vez que visitei Mirik, eles estavam construindo o stupa em ouro para seus restos mortais. Um pouco antes de ir sonhei que ele estava em algum lugar ao norte de Mirik. Mencionei ao Khempo Rinpoche. Ele me disse que ao norte está o Sikkim. Nesse momento eu não tinha informações mais precisas.

Muitos anos se passaram. Nenhum sinal. Ainda que eu tentasse, nenhum sinal preciso.

Durante o 31º Kagyu Monlam, durante a reunião com os organizadores, anunciei que tentaria encontrar a reencarnação para o 32º Kagyu Monlam. Khempo Rinpoche esperou durante um mês e, depois, no dia 31 de janeiro, dia do Losar de Tsurpu, realizamos uma grande cerimônia. Khempo Rinpoche havia esperado um mês e eu não tinha nada para dizer a ele. Eu me sentia estranho.

Eu tentava fazer o meu melhor. Nessa manhã, senti uma devoção especial por Rinpoche. Foi então que visões e aparições se produziram. Coloquei tudo por escrito em uma carta que enviei à Khempo Rinpoche. Um comitê de busca foi então formado. Eles encontraram alguns nomes e me enviaram a lista. Eu sentia que não era isso, eu nem mesmo olhei os nomes. Eu sentia que eles deveriam ainda seguir com as buscas. Eu não dei nenhuma resposta nem sim nem não.

E então mais um ano se passou. Durante o 32º Kagyu Monlam, uma vez que eu havia anunciado, todo mundo pensava que eu apresentaria sua reencarnação. Mas isso não ocorreu. Durante o jantar com os organizadores, ao qual eu havia convidado Khempo Rinpoche, anunciei que não havia ocorrido e que eu tentaria fazê-lo durante Arya Kshema. Enviei Khempo Rinpoche e um membro do Labrang de Tsurpu Labrang para as buscas no Sikkim. Eles me fizeram muitas perguntas, pedindo para dar-lhes o máximo de detalhes. Grande tarefa! Eu desenhei a montanha, a casa, indiquei o nome dos pais, o número de membros da família. Eles partiram em seguida dizendo que dessa vez eles estavam 100% certos de encontrar o tulku. Nenhuma dúvida possível.

bokar-lookEles encontraram o tulku nos dias que se seguiram. Eles seguiram minhas explicações. Só poderia ser naquela cidade. Mas eu não havia decidido nada ainda. Informei isso a Khempo Rinpoche que me respondeu que ele tinha o sentimento que esse era o correto. Ele tinha a certeza. Então pedi que se apresentasse essa criança a Khempo Rinpoche. Gyalsab Rinpoche igualmente teve o mesmo sentimento. Tranghu Rinpoche informou Situ Rinpoche. Após tudo isso, eu pude realmente decidir. Finalmente Khempo Rinpoche veio me ver. Eu perguntei à ele se ele pensava que aquele era o correto. Mas Khempo Rinpoche já havia decidido. Ele não mudaria de idéia. Então eu não tive outra escolha a não dizer sim.

Ontem tivemos a cerimônia. É realmente difícil dizer onde a consciência de Bokar Rinpoche foi. Eu não tenho a qualificação especial para isso. Aconteceu pela força de sua aspiração, de sua sabedoria. Eu não disse que seria aqui ou acolá. Numa família rica ou não. Não dessa maneira. Às vezes me dizem que tal pessoa não pode ser um tulku pois nasceu em uma família rica. Não há nada que eu possa fazer para isso. É unicamente por seu poder que ele é reconhecido. De maneira alguma eu posso dizer que devesse nascer aqui ou acolá.

SS Karmpa young

Durante a cerimônia, percebi que Yangsi Bokar Rinpoche tem a mesma idade que eu quando fui reconhecido. Isso me lembrou quando eu era jovem. Às vezes uma família em particular aspira que seu filho seja reconhecido como tulku. É uma grande responsabilidade quando se toma esse tipo de decisão. Eu fui separado de meus pais quando tinha 7 anos e precisei deixar meu país quando tinha 14. Tudo isso por eu ter sido reconhecido como tulku. Durante a cerimônia senti uma forte compaixão olhando seus pais. Assim como olhando Rinpoche. Farei tudo o que for possível para que sua atividade floresça nessa vida."

 

 

 

Esse texto é a transcrição da tradução para a língua inglesa feita pelo Lama David. Me desculpo por todo erro e omissões mais que prováveis.
Em 22 de janeiro de 2015, Monastério Tergar, Bodhigaya, Índia

 Imprimir  E-mail

Carta de Khempo Dönyö Rimpoche sobre a busca e a identificação de Yangsi Bokar Rimpoche

Bokar Donyo 

A busca e a identificação de nosso Glorioso Mestre, Kyabje Bokar Rinpotche, contada por Khempo Dönyö Rinpotche

Tradução: Lama Pelmo

 

Bokar Karmapa"Após a partida para o nirvana de nosso mestre e guia Kyabje Bokar Rinpotche, entronisar seu sublime Corpo de Emanação revelou-se uma responsabilidade da qual ninguém do monastério de Mirik poderia se afastar.

Quando Kyabje Bokar Rinpotche faleceu em 2004, realizamos as tradicionais cerimônias de oferendas durante 49 dias. Atendendo nosso pedido, S. S. Gyalwang Karmapa Orgyen Trinle Dordje veio a Miriik para presidir os últimos dias do ritual. No dia seguinte, eu mesmo, os Khempos, Lamas, Unzes e responsáveis pelo monastério oferecemos à S. S. Karmapa uma mandala e representações do Corpo, da Palavra e da Mente Despertas. Com fervor, pedimos em seguida ao Gyalwang Karmapa que identificasse o renascimento de Bokar Rinpotche, graças ao poder de seu Conhecimento. O Karmapa generosamente aceitou, o que nos preencheu de uma alegria ilimitada.

Durante os seis anos que se seguiram, apresentamos novamente nosso pedido a cada ano. Os Lamas e os discípulos dos Centros de Dharma do Oriente e do Ocidente, bem como os fiéis discípulos de Rinpotche da Índia, do Nepal e do Butão fizeram igualmente pedidos à Sua Santidade várias vezes de diversas maneiras, mas sem nehum resultado além de um consentimento.

Quando terminou o 31º Kagÿu Monlam, em janeiro de 2014, o Gyalwang Karmapa, em um encontro com os organizadores, anunciou pela primeira vez sua esperança de que poderíamos ver o renascimento de Bokar Rinpotche durante o 32º Monlam, o que fez nascer em nós uma grande esperança. No dia 30 de janeiro, o primeiro dia do ano de acordo com o calendário de Tsurpu, o Karmapa nos deu uma carta que permitia a descoberta do renascimento. Podia-se ler:

"No norte do país oculto que é o Sikim, diante de uma montanha em forma de torma de lhachö, encontra-se um menino de seis anos, filho de um pai cujo nome tem a letra TA e de uma mãe cujo nome contém a letra A. Se ele for reconhecido como sendo o renascimento de Kyabje Bokar Rinpotche, será um benefício para o Ensinamento e os seres. Karmapa, 30 de janeiro".

Muitos representantes do monastério foram imediatamente designados para formar um grupo de busca. Baseando-se na terra, eles descobriram três crianças que pareciam corresponder às indicações fornecidas: o nome dos pais, a geografia de seu lugar de nascimento e sua idade. Quando essa descoberta foi reportada à S. Santidade, ele não deu mais detalhes sobre o que seria preciso fazer nem sobre a escolha da criança.

Durante o 32º Monlam, que ocorreu em Bodhigaya em dezembro de 2014, estávamos na grande espectativa de ver a face do renascimento, mas nada ocorreu. No dia 6 de janeiro de 2015, quando terminou o Monlam, o Gyalwang Karmapa me fez chegar um convite particular para participar de um jantar que reuniria as pessoas que trabalharam no evento, jantar no qual estavam presentes os dois Filhos do Coração. Ao final do jantar, o Karmapa nos disse então em um tom alegre: "Havia esperado que o renascimento de Bokar Rinpotche estaria presente esse ano no Monlam, mas esse momento não veio. Penso entretanto que o poderemos acolher entre nós durante a próxima reunião da Arya Kshema de inverno. Para isso, será preciso que Khempo Rinpotche retome a estrada para retornar a Bodhigaya com o renascimento".

No dia 8 de janeiro, parti então para Gangtok acompanhado de um grupo do qual se juntou Khempo Gawang, representante da administração do monastério de Tsurpu. Chegamos no destino no dia 9. Além da carta do ano precedente nós tínhamos, para retomar as buscas, novas indicações dadas pelo Gyalwang Karmapa: a cidade de Dimkim no distrito do Sikkim setentrional, um mapa mais detalhado, esquemas do local de nascimento da reincarnação e detalhes sobre o número de membros da família.

Khempo Gawang e nosso secretário geral, concentrando assim seus esforços no Dimkim, encontraram uma criança que correspondia a todos os critérios. Eles transmitiram a informação à S. Santidade, que lhes pediu para aguardar enquanto continuavam as buscas. No dia 12 de janeiro, ele os fez saber que seria necessário levar a criança descoberta alguns dias antes. Eles a conduziram portanto à Gangtok, à Norkhill, a pousada onde eu estava hospedado.

Donyo-Karmapa-BokarNa radiância de uma alegria ilimitada, abençoei a reincarnação pousando sobre sua cabeça e sobre suas mãos primeiramente uma imagem de Shakiamuni que o precedente Bokar Rinpotche olhava como suporte de seus votos, depois uma de Tara que ele considerava como suporte de sua meditação. Realizei igualmente um ritual de purificação.

Na noite do mesmo dia, Sua Santidade nos pediu para retornar rapidamente à Bodhigaya. Partimos no dia seguinte, para chegar à Bodhigaya no dia 15 de manhã.

Como já mencionamos, ao longo desse percurso, foi pelo uso de seu Conhecimento que Gyalwang Karmapa pôde identificar sem erro a reincarnação de Bokar Rinpotche, atendendo assim as aspirações que desde já há muito tempo vibravam em nossos corações, nós os monges de Mirik e as diversas comunidades vinculadas, bem como nos corações de todos os discípulos fiéis nos Centros de Dharma em todo o mundo. Foi somente pela compaixão e bodhicitta de Sua Santidade que a reincarnação foi descoberta.

Mesmo que se oferecêssemos o universo preenchido de jóias, não seria suficiente para agradecer nem um grama de sua bondade. Todos nós, discípulos de Bokar Rinpotche, fazendo homenagem com nosso corpo, palavra e mente, unimos as mãos acima de nossa cabeça para expressar nosso reconheccimento diante dessa insuperável bondade."

 Imprimir  E-mail

Cerimônia de Reconhecimento Oficial de Yangsi Bokar Rimpoche

SSKarmapa YangsiBokarRimpocheNeste dia tão especial, compartilhamos o vídeo da cerimônia de reconhecimento oficial da nova encarnação de Bokar Rimpoche.

O evento aconteceu no monastério de Tergar, próximo a Bodh Gaya, às 10h da manhã, no horário da Índia. A cerimônia foi conduzida por Sua Santidade Karmapa, detentor da tradição Karma Kagyu. Ao seu lado estavam alguns dos grandes mestres dessa linhagem, como Gyaltsab Rimpoche e Jamgon Kongtrul Rimpoche e, ao lado desses, estavam muitos grandes lamas e a comunidade de monges.

Na sequência dos eventos, primeiramente, Khempo Donyo, o sucessor e abade do monastério de Bokar Rimpoche, em Mirik, foi convidado para relembrar a história desde a passagem de Bokar Rimpoche até a busca por sua nova encarnação, guiada pelas instruções de S.S. Karmapa. A fala foi feita em Tibetano, mas seguida por traduções em Inglês e em Chinês. Então, S.S. Karmapa, fez o anúncio oficial da nova encarnação de Bokar Rimpoche ao Khempo Donyo. Depois disso, o pequenino, aparentando ter 6 ou 7 anos de idade, entra no recinto vestindo uma roupa amarela longa, chamada chuba, e não um robe de monge, porque ele ainda não é ordenado. Ele fez três prosternações diante de S.S. Karmapa, que lhe deu os votos do Refúgio e seu nome de Refúgio. Bokar Tulku fez então oferendas simbólicas à Sua Santidade Karmapa e sentou-se no trono preparado para ele entre Jamgom Kongtrul e Khempo Donyo. Ele foi presenteado com oferendas, katas, chá e arroz doce. Em seguida a comunidade recitou uma sucessão de preces e bons votos por sua longa vida e sua atividade iluminada. 

O evento foi concluído próximo do meio dia, quando os participantes foram convidados para o almoço.

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

  

 

 

 

 Imprimir  E-mail

Mais artigos...