Bodhisatvacharyavatara 38 – Capítulo 5: A Vigilância

 

Nos ensinamentos de hoje, foi apresentada a história do Príncipe Herdeiro, da Concubina e do Conselheiro do Rei, extraída da obra Quinhentos Contos Budistas, publicada em 1910. Em seguida, os ensinamentos foram sobre o texto e os comentários relativos ao Bodhisatvacharyavatara – Capítulo 5: A Vigilância (estrofes 97 a 101)

[97] As práticas enunciadas para os Bodhisattvas são inumeráveis, mas há uma que deve ser observada com todo o rigor: a purificação da mente.

[98] Que ele recite três vezes por dia o Sutra em Três Partes; por esta prática, pela Bodhichitta e pela invocação dos Jinas, apagará de si o resultado do mau agir até ao último vestígio.  [O Discurso em Três Partes, Triskanda Sutra, é composto da confissão perante os trinta e cinco Buddhas, da apreciação das virtudes e da dedicação dos méritos.]

[99] Em qualquer situação que se encontre, agindo para o bem de alguém ou de si mesmo, que ele aplique escrupulosamente os ensinamentos adequados.

[100] Não existem pensamentos que os Bodhisattvas não devam aprender, e para quem se instrui assim, tudo é acumulação de méritos.

[101] É unicamente no interesse direto ou indireto dos seres que ele deve agir; é por eles que deve dedicar os méritos à iluminação.

Deixe uma resposta