Bodhisatvacharyavatara 40 – Capítulo 5: A Vigilância

 

Todos os nossos atos têm suas consequências.

Nos ensinamentos de hoje, foi apresentada a história do Príncipe Amado, que aos 13 anos ficou mudo – extraída da obra Quinhentos Contos Budistas, publicada em 1910. Essa história traz um ensinamento do Buda a respeito da Ética e do Karma:

– “É da palavra que provêm todos os males.”

– “A bondade deve ser praticada de forma que os outros também sejam incitados a praticar a bondade.”

– “Se quisermos evitar as dificuldades e escapar do sofrimento, não devemos abandonar os preceitos. Quando decidimos estudar a sabedoria, é preciso conduzir-se como um Buda.”

Em seguida, os ensinamentos, conectados com a temática trazida pela história do Príncipe (Ética e Karma), foram sobre o texto e os comentários relativos ao Bodhisatvacharyavatara – Capítulo 5: A Vigilância (estrofes 108 e 109, concluindo o capítulo).

[108] Vendo o que é proibido e o que é prescrito nos Sutras e Tratados, para proteger nossas mentes dos mundanos, devemos aplicar corretamente o que estudamos.

[109] Eu praticarei isto com meu corpo (palavra e mente). Que podemos realizar somente pronunciando palavras? Que doença de um homem doente é curada meramente por recitar os textos médicos?

E finalmente, para ilustrar ainda mais a importância fundamental da Ética, a Lama trouxe três máximas de Khenpo Kunpal (1862-1943), extraídas de seu comentário sobre o Bodhisatvacharyavatara:

– “A ética é como a água, purifica as negatividades e pacifica os sofrimentos causados pelas perturbações.”

– “O sábio protege a ética tal como protegemos a pupila dos nossos olhos.”

– “Ostentar os (próprios) atos positivos e lamentar os atos positivos (dos outros) é o declínio da virtude.” 

Deixe uma resposta