Taranatha – A Essência da Ambrosia 05 – Contemplações 6 e 7

 


Os ensinamentos de hoje tiveram início com a apresentação do Shangpa Gurtso, que é a coleção da biografia e dos cantos de realização dos mestres da Linhagem Shangpa. Hoje foi apresentada a biografia e um canto de realização de Niguma.
Na sequência, tivemos ensinamentos e comentários sobre as contemplações 6 e 7, que tratam da Impermanência.

 

 

 

Contemplação 6

Você Não Tem Nem Idéia de Quando Morrerá

Em geral, não apenas a vida é curta, mas não há nenhuma indicação de quando eu vou morrer. Se eu for afortunado, o alcance da minha vida impulsionado por meu carma passado  possivelmente se estenderá até os 60 ou 70 anos. Mas provavelmente nem tanto. Mesmo imaginando que eu viva um longo tempo não há como calcular à partir de hoje quanto minha vida vai durar. Pode ser um pouco mais ou muito mais que isso. Para alguns, por causa de seu carma prévio, é possível que a vida não se prolongue até os 30 ou 40 anos.

Em outras palavras, o senhor da morte verdadeiramente está na soleira da minha porta. Os inimigos, amigos, riqueza, coisas materiais, associados, empregados e companheiros desta vida, felicidade, tristeza e conversas, nada permanecerá por muito tempo. Qual é o propósito de tudo isso? Como é dito:

Se a terra, montanhas e oceanos
Serão incinerados por sete sóis ardentes
E nenhum destes corpos, nem mesmo as cinzas Irão suportar,
Se tudo se vai sem nem avisar
Eu não deveria confiar em algo tão frágil!

Este corpo, um agregado de carne, sangue e fluidos, é transitório. A respiração é instável, como a bruma de outono: eu não tenho nem idéia quando ela vai cessar. E por eu não ter alcançado a liberdade da mente, não tenho certeza de nada, seja o que for, e assim permanence esquecida a idéia de quando eu vou morrer.
Maitreyanatha ensinou:

Dizer “Pelo menos hoje eu não vou morrer”, E permanecer à vontade, não é sensato.
No momento em que eu me tornar nada,
Meu destino estará além da dúvida.

Nas palavras de Nagarjuna:

As circunstânicias da morte são muitas. Aquelas que mantém a vida poucas.
E essas também podem causar a morte. Portanto continuamente pratique o dharma.

As causas potenciais da morte incluem seres sencientes como os seres humanos, animais e demônios, o ambiente e elementos como os precipícios, fogo e água, e internamente os quatrocentos e quatro tipos de doenças do corpo. Em resumo, não há nada sobre o qual se possa dizer “Isso não pode ser a causa da morte.” Até mesmo coisas consideradas causas para não se morrer, para se manter vivo, como o alimento, roupas, casa, cama, remédios e assim por diante, em um dado momento se tornam circunstâncias de morte, como quando o alimento se torna rançoso, ou quando se toma o remédio errado. Eu estou vivendo no centro de uma turbulenta nevasca de circunstâncias adversas para o meu corpo e a minha vida, e não sei nada sobre o momento da minha morte!


Contemplação 7

Na Hora da Morte, Nada ,a Não Ser o Dharma, Poderá Ajudar

Shantideva disse:

Quando eu for surpreendido
Pelo mensageiro do senhor da morte,
Qual a utilidade dos parentes? E dos amigos?

No momento da morte, mesmo que eu tenha muita riqueza e posses, serei tão impotente, incapaz de levar comigo nem mesmo o valor de uma semente de gergelim. Mesmo que eu esteja no centro de uma grande família, de companheiros, trabalhadores, atendentes, senhores, chefes e assim por diante, serei impotente para levar comigo até mesmo o servo mais humilde, ou um simples cachorrinho e eles serão impotentes também para me seguir. Tudo isso tem a natureza da partida, da separação e não provê nenhum benefício seja qual for.

Medite com total aversão. Aplique isso da mesma forma para tudo – amigos, inimigos, conforto, tormento, circunstâncias boas ou ruins.

Se nada disso segue comigo, o que segue? Meu carma acumulado, ambos os carmas positivo e negativo seguirão comigo. Uma vez que eu tenha feito algo negativo, isso continuará a me prejudicar. Por outro lado todas as ações virtuosas que eu pratiquei, sem uma única exceção, me beneficiarão. Devemos contemplar as palavras de Chöden Rabjor:

Todos os outros serão deixados para trás.
Além das acões virtuosas e negativas
Nada seguirá com você.
Saiba disso e analise muito bem.

Assim, eu devo cultivar o pensamento de que certamente eu morrerei, morrerei logo, que eu não sei quando vou morrer e que nada, seja o que for, terá benefício quando eu morrer. À partir do momento da morte em diante, por incontáveis vidas, a única coisa que poderá me beneficiar é o ensinamento sagrado, agora mesmo eu devo voltar meus esforços para a prática desses ensinamentos!