Taranatha – A Essência da Ambrosia 13 – Contemplação 19

 

Os ensinamentos de hoje tiveram início com a apresentação do Shangpa Gurtso, que é a coleção da biografia e dos cantos de realização dos mestres da Linhagem Shangpa. Hoje foi apresentada a biografia e um canto de realização de Sangye Tonpa.
Na sequência, tivemos ensinamentos e comentários sobre a contemplação 18, que compõe as meditações sobre carma, ações e resultados.

 


Contemplação 19

Ações Positivas

A obtenção de um corpo físico nos reinos elevados e todos os estados de felicidade na existência cíclica surge a partir de ações virtuosas. Mesmo os estados supermundanos e os três tipos de iluminação, surgem de ações virtuosas. Eu devo por isso desistir das ações danosas e cultivar ações virtuosas o máximo possível. Apesar de haver inúmeras ações virtuosas que podem ser praticadas, a porta de acesso a toda virtude é a conduta pura das dez ações virtuosas. Agora que mentalmente eu desisti das dez ações não virtuosas explicadas anteriormente, esbocei a decisão de modificar meus hábitos do corpo e da fala e coloquei minha intenção em prática, eu farei o compromisso de continuar desta forma permanentemente.

Para mentalmente desistir das ações não virtuosas eu devo compreender que elas são imperfeições e que causam problemas. Saber disso me motivará a ficar livre delas para sempre. Nesse sentido eu reverterei hábitos do corpo e da fala.

Mas se eu me engajar em ações positivas apenas esporadicamente, ou se eu falhar em me engajar nelas, parecerá que eu as pratico para obter algum lucro. Então, mesmo que a oportunidade surja para se praticá-las sem esforço, eu não o farei.

Recordar meu compromisso mental de abandonar ações danosas me previne, em primeiro lugar, de tomar o caminho errado. Entretanto esse abandono mental não é suficiente: as sete ações virtuosas do corpo e da fala estão incluídas nas três da mente.

Ver as ações não virtuosas como antiéticas é a base do abandono mental. Reconhecer as ações antiéticas pelo que elas são é o entendimento, livre de confusão, no nível relativo. Isso leva à prática do caminho dos medicamentos/remédios e essa é a essência da conduta moral.

Se a atitude do abandono surge fortemente várias vezes, mesmo que a prática seja interrompida pelo torpor, distração ou outras coisas, eu ainda assim reconhecerei as ações não virtuosas como erros e faltas. Focando-me nas condições que despertam essas tendências eu vou evitá-las e restringi- las. Esse processo surge da força da atitude (de abandono) e essa força vem da potência da semente inicial (o fato de ver as ações não virtuosas como antiéticas). Por essa razão, a atitude de abandono das dez ações não virtuosas junto com essa semente (do despertar com relação à natureza antiética de tais ações) configura as dez ações virtuosas.