Taranatha – A Essência da Ambrosia 16 – Contemplação 26

 

Os ensinamentos de hoje, tivemos uma sessão de perguntas e respostas sobre meditação, natureza da mente, os quatro véus, dukha, anatha e anikha, além da leitura e comentários sobre a contemplação 26, do capítulo que aborda as meditações sobre os sofrimento do reino dos humanos.

 


PARTE II

CAPÍTULO 5 – O Tormento dos Reinos Elevados

Contemplação 26

Outros Sofrimentos Humanos

O sofrimento de buscar aquilo que se quer e não encontrar: eu luto e arrisco a minha vida apenas para conseguir alguma riqueza, fama e poder. Embarco em projetos que levam muitos meses ou anos para serem finalizados. Trabalho continuamente, estação após estação, mas não recebo nenhuma recompensa por meus esforços. Fazendo da força das minhas pernas o fardo, da força dos meus braços o arado, da minha panturrilha o cavalo e minha cabeça o cocheiro, eu vou me conduzindo para o sul ou para o norte, mas nenhum dos meus objetivos é alcançado. Voluntariamente suporto a fome e a sede, atormentado pelo calor e o frio, sem descanso dia e noite. Enquanto meu corpo de carne e sangue se desgastam, eu não sou capaz de adquirir nem mesmo alimento suficiente ou roupas. Porque todos os meus esforços são mal sucedidos minha mente fica exausta.

O sofrimento de encontrar aquilo que é desagradável: este tipo de sofrimento inclui estar à mercê de um inimigo, ser acometido por uma doença virulenta ou por um sofrimento intenso, encontrar um assassino que pretende me matar, cair de um penhasco, ser atirado na prisão, ser banido e outras experiências de perda.

O sofrimento de ser separado do que amamos: quando sou separado dos meus pais, parentes, esposa(o), casa, amigos – pessoas impossíveis de se viver sem elas – angústias insuportáveis surgem na minha mente, até o ponto de eu andar curvado de tanto pesar tristeza.

Se você quiser expandir esta contemplação, medite de acordo com a sessão sobre a impermanência e a morte explicada anteriormente.