Bodhisatvacharyavatara 26 – Capítulo 5: A Vigilância

 

No ensinamento de hoje, foram tratados os versos 9 a 13 do Capítulo 5: Guardar a Vigilância. (Incentivamos que o capítulo seja lido antes de ouvir os ensinamentos e também depois – clique aqui para acessar o texto).

Buscamos a felicidade, mas corremos o risco de encontrar sofrimento se tomarmos objetos de desejo como causas da felicidade. A própria via espiritual pode se tornar um objeto de desejo e dessa forma produzir resultados contrários ao que ela se destina. A Vigilância é a qualidade da mente que evita que esse tipo de confusão ocorra.

Vimos também que a Vigilância é o que transforma as paramitas em Perfeições.

[9] Se a perfeição da generosidade consistisse em enriquecer o mundo, os salvadores ancestrais [Bodhisattvas] não a teriam possuído, uma vez que o mundo continua pobre.

[10] O pensamento de sacrificar tudo o que se tem a todos os seres, bem como o fruto desse sacrifício, é o que se chama perfeição da generosidade; ela é, portanto, mente e nada mais.

[11] Para termos a certeza de que ninguém os vai matar, onde podemos guardar os peixes e os outros animais? A perfeição da ética é renunciar a fazer mal.

[12] Quantos malfeitores serei eu capaz de matar, se há tantos como a vastidão do espaço infinito? Mas quando eu matar a mente de cólera, todos os inimigos cairão no mesmo instante.

[13] Onde encontrar um pedaço de couro tão grande que cubra a terra inteira? Não bastará a sola de uma sandália?

Deixe uma resposta